InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Login  

Compartilhe | 
 

 TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
oculto
classe C
classe C


Número de Mensagens : 369
Data de inscrição : 05/01/2008

MensagemAssunto: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Dom 02 Mar 2008, 12:25

LÍNGUA PORTUGUESA - Analista de Controle Externo/TCU- 2005/2006
PROVA 1-GABARITO 1

01- Assinale a substituição necessária para que o texto fi que
gramaticalmente correto.
A situação social, política e econômica em que se
encontra a população negra é conseqüência de um
longo processo estrutural-histórico do qual mudanças
dependem de políticas públicas amplas e pautas
muito além das formulações dos preconceitos ou das
discriminações do racismo como têm sido dadas.
Aprofundar a base teórica signifi ca aprofundar o campo
das ações nas áreas do trabalho, da habitação, do
urbanismo, da economia, da saúde, da cultura e da
educação.
(Henrique Cunha Jr. “Novos caminhos para os movimentos negros”
in Política Democrática - Revista de Política e Cultura, Brasília:
Fundação Astrogildo Pereira, Ano V, n. 12, agosto de 2005.)

a) em que (l.1) > na qual
b) do qual (l.3) > cujas
c) de um (l. 2) > do
d) têm sido (l. 6) > são
e) nas ( l. 7) > em

02- Em relação ao texto, assinale a opção incorreta.
Do ponto de vista político, a reentronização da hegemonia do
capital fi nanceiro sobre a reprodução social capitalista
mundial significou a vitória da contra-revolução
política e econômica capitalista em todos os diferentes
universos em que as revoluções políticas capitalistas e
anticapitalistas tentaram se libertar do pesadelo de um
capital fi nanceiro entregue a si próprio. Esse foi o causador
de duas guerras mundiais e várias escaramuças bélicas em
vários rincões do planeta, assim como da contra-revolução
capitalista, para não falar da infl ação e do desemprego,
que jogaram os trabalhadores na miséria e no desespero,
no inferno das guerras, da fome e das perseguições
inomináveis. Eles tentaram se libertar do pesadelo derivado
de um dado histórico inequívoco: a voragem exterminista e
genocida do capital e do capital fi nanceiro em primeiríssimo
lugar. E fracassaram.
(Paulo Alves de Lima Filho)

a) O emprego da expressão “reentronização da hegemonia”
(l. 1) deixa pressupor que, em período anterior, já
havia existido hegemonia do capital fi nanceiro sobre a
reprodução social capitalista mundial.
b) A expressão “hegemonia” (l. 1) tem, no texto, o sentido
de preponderância, superioridade, supremacia.
c) O pronome “Esse” (l. 7) refere-se a “um capital fi nanceiro
entregue a si próprio” (l. 6 e 7).
d) O pronome “Eles” (l. 13) refere-se a “vários rincões do
planeta”(l. 9).
e) A conjunção “E” (l. 16) pode ser substituída, sem
prejuízo para a correção gramatical do período e para o
sentido do texto, por Mas.

03- Assinale a opção que corresponde a erro gramatical.
O artista não é o porta-voz(1) da informação, nem
do saber ou da realidade, nem da objetividade ou do
coletivo, nem de si(2) mesmo.
O artista contemporâneo é aquele que cria condições, na
obra, para que nela(3) se processe o trabalho específi co
de sua arte – o trabalho do fi lme, o trabalho do romance,
o trabalho da pintura –, que, mais do que(4) representar
a existência, põem(5) essa existência em ação, para ele
mesmo e seu público.
(Teixeira Coelho)

a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5

04- Em relação ao texto, assinale a opção incorreta.
As barreiras regulatórias vão da difi culdade burocrática
de abrir um empreendimento ao custo tributário de
mantê-lo em funcionamento. No Brasil, representam 11% da
muralha antidesenvolvimento e resultam, na maioria das
vezes, da mão pesada do Estado – criador de labirintos
burocráticos, de onerosa e complexa teia de impostos e
de barreiras comerciais.
(Adaptado de Revista Veja, 7 de dezembro de 2005.)

a) A substituição de “da” (l.1) por desde a mantém a
correção gramatical do período.
b) A substituição de “ao” (l. 2) por até o mantém a correção
gramatical do período.
c) As formas verbais “representam” (l.3) e “resultam” (l. 4)
referem-se a “As barreiras regulatórias” (l.1).
d) A expressão “mão pesada” (l. 5) está sendo empregada
em sentido conotativo.
e) A expressão “teia” (l. 6) está empregada em sentido
denotativo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdosconcursos.hpg.ig.com.br
oculto
classe C
classe C


Número de Mensagens : 369
Data de inscrição : 05/01/2008

MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Dom 02 Mar 2008, 12:26

05- Os trechos abaixo compõem um texto. Assinale o segmento
que apresenta erro gramatical.

a) A principal barreira para o crescimento do país é a
informalidade, ou seja, a ilegalidade consentida.
b) O conceito de informalidade não se resume à economia
paralela, movida por multidões de camelôs. É mais
amplo.
c) Alcança distorções que comprometem a concorrência
entre empresas, como a sonegação de impostos, o
descumprimento de obrigações legais de toda ordem
e, em especial, o descaso pelos direitos de propriedade
intelectual.
d) São inúmeros os prejuízos provocados pela ação de
quem agem ilegalmente. Uma conseqüência, porém, é
vital, mas de difícil observação a olho nu: o incentivo à
inefi ciência e à falta de competitividade.
e) Os informais não investem em máquinas e equipamentos.
Não inovam. Copiam. Evitam parceiros legais, não se
credenciam a receber investimentos ou crédito e isso os
empurra cada vez mais fundo para os subterrâneos.
(Adaptado de Revista Veja, 7 de dezembro de 2005.)

06- Os trechos abaixo constituem um texto. Assinale o segmento
gramaticalmente correto.
a) Juros e câmbio são fatores de peso. Mas é um erro
deixar que domine as discussões econômicas. Segundo
o estudo da McKinsey, os entraves macroeconômicos
sobre a produtividade da máquina econômica brasileira
podem ser calculados em 13%.
b) São menores do que as infl uências negativas da
informalidade, que pode chegar a 43%. Se não se devem
tomar os juros altos como um fato da vida tão imutável
quanto o nascer e o pôr-do-sol, também é tolo acreditar
que eles podem ser baixados por decreto.
c) Juros altos são sintomas de distorções macroeconômicas
– em especial da relação entre a dívida pública e o PIB.
Depende também da qualidade dessa relação.
d) A relação dívida versus PIB do Brasil é alta (mais de
50%) e sua qualidade é baixa: os vencimentos são de
curto prazo.
e) Portanto, enquanto essa distorção não for atacada com
cortes pesados nos gastos do poder público, os juros,
mesmo em queda, será um dado da vida econômica
brasileira. Como os juros tendem a valorizar a moeda,
o real pode manter-se sobrevalorizado por um bom
tempo.
(Adaptado de Revista Veja, 7 de dezembro de 2005.)

07- Assinale a opção que corresponde a erro gramatical.
A precariedade dos serviços públicos é responsável
por cerca de(1) 8% das barreiras ao crescimento do
País. Esse impacto se deve aos(2) efeitos em cascata
que as defi ciências no setor público causam à economia.
No Brasil, esses problemas parecem tão arraigados à
rotina nacional que aparentam ser imutáveis. Não são. O
Reino Unido está implementando uma reforma que visa
o(3) aumento de produtividade e à melhoria da qualidade
dos serviços públicos. O primeiro passo aconteceu com o
estabelecimento de alguns princípios:
• metas nacionais de desempenho, mensuráveis e
disponíveis para comparação pelo público;
• clara defi nição de responsabilidades entre as
entidades públicas;
• aumento de fl exibilidade, por meio da(4) simplifi cação
de processos e da redução da burocracia;
• oportunidade de escolha por parte do público em
relação aos provedores de serviços.
A estimativa é que(5) essas reformas aumentem o PIB
do País em 16 bilhões de libras.
(Adaptado de Revista Veja, n. 49, p.154.)

a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5

08- Os trechos abaixo constituem um texto, mas estão
desordenados. Ordene-os nos parênteses e indique a
seqüência correta.
( ) Portanto, os grupos sociais não eram considerados
como identidades coletivas, como grupos históricos
na Sociedade.
( ) Esses direitos humanos tinham sentido apenas
universalista e de caráter pessoal e individual.
( ) Antes de 1995, o campo dos direitos humanos
no Brasil era operado sem levar em conta as
especifi cidades da população negra.
( ) A Secretaria Especial de Igualdade Racial é
instituída nesse patamar político dos direitos
humanos, para representar um conjunto amplo
de grupos que têm seus direitos humanos
subtraídos devido ao preconceito racial ou sofrem
discriminações na sociedade, pois entende-se vir
daí a fonte de desigualdades sociais e econômicas.
( ) No presente, a idéia de diversidade cultural foi
incorporada à idéia de respeito aos direitos humanos
e inspirou um código ético-moral sobre as diferenças
culturais, portanto, de respeito à diversidade.
(Henrique Cunha Jr. “Novos caminhos para os movimentos negros”
in Política Democrática - Revista de Política e Cultura, Brasília:
Fundação Astrogildo Pereira, Ano V, n. 12, agosto de 2005.)

a) 3o, 5o, 1o, 4o, 2o
b) 2o, 4o, 3o, 1o, 5o
c) 3o, 2o, 1o, 5o, 4o
d) 4o, 5o, 2o, 3o, 1o
e) 5o, 1o, 4o, 2o, 3o
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdosconcursos.hpg.ig.com.br
oculto
classe C
classe C


Número de Mensagens : 369
Data de inscrição : 05/01/2008

MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Dom 02 Mar 2008, 12:26

09- Os trechos abaixo constituem um texto. Assinale o segmento
que apresenta erro de pontuação.

a) A questão não é se a arte e seu autor devem participar
da discussão pública de seu tempo, comprometer-se
ou não com a “realidade”: impossível quase, evitar uma
coisa e outra.
b) A questão é como fazer isso. A ética da arte não está
no seu grau de compromisso com a realidade, com
a objetividade (recorde-se Nelson Rodrigues e sua
luta contra os “idiotas da objetividade” que o queriam
encurralar) ou com o coletivo. Também não está no
contrário disso.
c) A ética da arte (romance, cinema, teatro) não está
tampouco, como já se quis, na informação ou no
saber que propaga. A ética da arte depende de seu
compromisso com a existência, que é singular (não, com
a realidade, que é geral), e do jogo que arma com o que
há de desconhecido nessa existência.
d) Expor o desconhecido não signifi ca afi rmar ou divulgar
um saber - que na arte é quase sempre o já sabido. Em
arte, o saber gira, como máquina solteira, ao redor de
certezas e idéias feitas.
e) Já o jogo com o desconhecido, e sua eventual anulação
ou superação, faz-se na arte ao redor da incerteza e, na
arte contemporânea, da complexidade – quase nunca
isenta de perplexidade.
(Adaptado de Teixeira Coelho)

10- A seguir estão trechos de um relatório do Tribunal de Contas
da União. Para cada trecho é apresentada uma defi nição
textual do parágrafo e a qual pergunta responde ele. Assinale
a letra em que não há correspondência correta entre o trecho
e a defi nição e pergunta apresentadas.

a) O Ministério Público junto ao TCU ofereceu
Representação com intuito de que o Tribunal
determinasse a realização de auditoria de natureza
operacional acerca do cumprimento, pelo Estado, de
seu dever constitucional de defesa dos direitos humanos
referentes à vida, à integridade física e à liberdade no
exercício de atividades voltadas ao combate ao crime.
Como resultado, foi proposta a realização de três
auditorias, sendo uma delas no programa Assistência a
Vítimas e Testemunhas Ameaçadas.
Parágrafo de apresentação do resultado da Auditoria
realizada no Programa Assistência a Vítimas e
Testemunhas Ameaçadas. Responde à pergunta: O
que foi proposto pelo Ministério Público?
b) O Programa é um importante instrumento de combate
à impunidade no Brasil, dado o grande peso da prova
testemunhal em processos criminais. Além de seu
caráter protetor, o Programa também desempenha um
papel signifi cativo na promoção dos direitos humanos,
uma vez que seus benefi ciários contam com assistência
psicossocial para reinseri-los, de forma autônoma, em
um novo espaço social. O objetivo é oferecer-lhes as
condições possíveis e necessárias para a reconstrução
de suas vidas em uma nova cidade, propiciando-lhes os
meios para que se tornem, gradualmente, independentes
do Programa.
Parágrafo de descrição do Programa Assistência
a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas. Responde à
pergunta: O que é o Programa e qual seu objetivo?
c) O Programa está atualmente implantado em dezessete
estados. Na análise das questões de auditoria, além da
pesquisa documental, foi utilizada a pesquisa via e-mail
com equipes técnicas e coordenadores de ONGs
executoras em cinco estados (Ceará, Goiás, Maranhão,
Mato Grosso do Sul e Santa Catarina). Outra estratégia
empregada foi a visita de estudo a oito estados brasileiros
(Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Pará, Pernambuco,
Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo). Nas
visitas, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas
com Coordenadores das ONG executoras, integrantes
da equipe técnica, representantes do Ministério Público,
Secretaria Estadual e Judiciário no Conselho Deliberativo
e Presidentes de Comissões de Direitos Humanos das
Assembléias Legislativas.
Parágrafo de exposição da metodologia, ou de
parte dela, empregada na execução dos trabalhos
de auditoria. Responde à pergunta: Como se
desenvolveu o trabalho?
d) Os programas estaduais também se ressentem da
difi culdade de encaminhamento de casos que não
se encaixam no perfi l defi nido para o Programa e não
preenchem os pré-requisitos de admissão. Nessa
situação, deveria haver proteção especial da segurança
pública local para a pessoa que, não admitida ou
excluída do Programa pelos mais variados motivos
(não-preenchimento dos pré-requisitos, quebra de sigilo,
comportamento inadequado no programa), venha a
correr risco pessoal de vida. Todavia, para esses casos,
existe apenas o Serviço de Proteção ao Depoente
Especial – SPDE, operado pelo Departamento da Polícia
Federal, o qual não tem condições de atender a toda a
demanda.
Parágrafo que expõe uma limitação do Programa
Assistência a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas.
Responde à pergunta: O que o TCU encontrou?
e) Com exceção do que se verifi ca nos estados do AM e RS,
os programas estaduais não dispõem de equipe própria
de segurança. Para fornecer escolta a benefi ciários e
técnicos, em seus deslocamentos, o Programa depende
da designação pontual de policiais pela Secretaria de
Segurança Pública. Quando se constata que 37% dos
atuais acusados pertencem às forças policiais, é forçoso
considerar-se a possibilidade de envolvimento, nos
crimes investigados, de policiais designados para dar
proteção a testemunhas.
Parágrafo que relata a situação dos recursos
humanos que desempenham ações de segurança
junto a benefi ciários e técnicos do Programa.
Responde à pergunta: Quem desempenha as ações
de proteção do Programa?
(Extraído, com adaptações, de: Sumários Executivos. Nova Série.
Relator Auditor Lincoln Magalhães da Rocha. Brasília, Brasil, 2005,
Internet)

11- Indique a opção que pode anteceder o parágrafo transcrito
abaixo, sem ferir os princípios de coerência textual e
desenvolvimento lógico das idéias.
Muito contribuiu para afi rmações desse tipo a
divulgação da teoria de Cesare Lombroso (1835-1909),
criminalista italiano, que procurou correlacionar aparência
física com tendência para comportamentos criminosos.
Por mais absurda que nos possa parecer, a teoria de
Lombroso encontrou grande receptividade popular e, até
recentemente, era ministrada em alguns cursos de direito,
como verdade científi ca. Em nossos dias, o mau uso da
sociobiologia tem exercido o mesmo papel.
(Roque de Barros Laraia, Cultura – um conceito antropológico.)

a) O perigo da crença nas qualidades (positivas ou
negativas) adquiridas graças à transmissão genética
é que facilmente elas podem vir associadas a padrões
discriminatórios, sejam raciais, sejam sociais, na tentativa
de justifi car as diferenças sociais.
b) Os dados científi cos de que dispomos atualmente
não confi rmam a teoria segundo a qual as diferenças
genéticas hereditárias constituiriam um fator de
importância primordial entre as causas das diferenças
que se manifestam entre as culturas e as obras das
civilizações dos diversos povos ou grupos étnicos.
c) Os grupos humanos diferem uns dos outros pelos traços
psicologicamente inatos, quer se trate de inteligência,
quer de temperamento. O desenvolvimento das aptidões
mentais se explicam, antes de tudo, pelo aparato inato
de que vem dotado cada ser humano – apanágio do que
se designa por espécie humana.
d) As diferenças existentes entre os homens não podem
ser explicadas em termos das limitações que lhes são
impostas pelo seu aparato biológico ou pelo seu meio
ambiente. A grande qualidade da espécie humana foi
ter rompido com suas próprias limitações: um animal
frágil dominou toda a natureza e se transformou no mais
temível dos predadores.
e) Um jovem lobo, separado de seus semelhantes
no momento do nascimento, saberá uivar quando
necessário; saberá distinguir, entre muitos odores, o
cheiro de uma fêmea no cio e distinguir, entre numerosas
espécies animais, aquelas que lhe são amistosas
ou adversárias. Do mesmo modo, um cachorrinho
criado com uma ninhada de gatinhos nem mesmo
experimentará miar – latirá e rosnará a primeira vez que
lhe pisarem a pata.

12- Assinale a asserção falsa acerca da estruturação lingüística
e gramatical do texto abaixo.
Nem o “sim” nem o “não” venceram o referendo,
e quem confi ar no resultado aritmético das urnas
logo perceberá a força do seu engano. O vencedor
do referendo foi o Grande Medo. Esse Medo latente,
insidioso, que a todos nos faz tão temerosos da arma que
o alheio possa ter, quanto temerosos de não ter defesa
alguma na afl ição.
Se um lado ou outro aparenta vantagem na contagem
das urnas, não faz diferença. O que importa é extinguir o
Grande Medo. E nem um lado nem outro poderia fazê-lo.
Todos sabemos muito bem porquê.
(Jânio de Freitas, Folha de S. Paulo, 24/10/2005 – com adaptações.)

a) Para o texto não apresentar nenhuma incorreção de
ordem sintática, a concordância do sujeito composto
ligado por “nem... nem” (l. 10) deve ser feita com o
verbo no plural, tal como se fez na ocorrência do mesmo
sujeito composto, na primeira linha do texto.
b) Apesar de sua posição deslocada na frase, o advérbio
“logo” (l. 2) dispensa a colocação de vírgulas em virtude
de ser de pouca monta, de pouca proporção.
c) Um medo “latente, insidioso” (l. 4) é um medo não
manifesto, encoberto, enganador, traiçoeiro, pérfi do.
d) O trecho contido nas linhas de 5 a 7 admite a seguinte
reescritura, sem que se incorra em erro de linguagem:
“... que nos faz a todos não só temerosos da arma
que o outro possa ter, mas também temerosos de
fi carmos indefesos na angústia.”
e) A última palavra do texto merece reparo. Há duas
expressões que a substituiriam com a devida correção
gramatical: 1) por quê e 2) o porquê.




GABARITO


01 - B
02 - D
03 - E
04 - E
05 - D
06 - D
07 - C
08 - C
09 - A - ANULADA
10 - A
11 - C - ANULADA
12 - A

Citação :
TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO
Instituto Serzedello Corrêa
EDITAL N° 03/ACE-CE, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2006
CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO -
ACE
O Diretor-Geral do Instituto Serzedello Corrêa do Tribunal de Contas da União, em cumprimento ao
disposto no subitem 9.4 do Edital Nº 01/ACE-CE, de 21 de novembro de 2005, publicado no DOU de 23/11/2005, e em
acolhimento aos pronunciamentos da Banca Examinadora emitidos em razão dos recursos apresentados quanto às
questões das provas objetivas do concurso público para o cargo de Analista de Controle Externo - Área Controle
Externo, aplicadas nos dias 21 e 22/01/2006, torna públicas as seguintes decisões:

I - ANULAR as questões abaixo relacionadas e atribuir os pontos a elas correspondentes a todos os candidatos
presentes às provas, independentemente de terem ou não os mesmos recorrido:

a) Na Prova Objetiva 1 - em todos os gabaritos: as questões nºs 09 e 11 da disciplina Língua Portuguesa; nº 17
da disciplina Direito Constitucional; nº 24 da disciplina Direito Administrativo e nºs 43 e 44 da disciplina Direito
Processual Civil;

b) Na Prova Objetiva 2 - em todos os gabaritos: a questão nº 06 da disciplina Administração Financeira e
Orçamentária; nºs 16 e 17, da disciplina Contabilidade e Auditoria e nº 40 da disciplina Controle Externo da Gestão
Pública;

II - ALTERAR as respostas das questões a seguir indicadas, em seus respectivos gabaritos:

a) Na Prova Objetiva 1: na questão nº 25, da disciplina Direito Administrativo, da letra E para a letra C (Gab.
1); da letra C para a letra E (Gab. 2); da letra A para a letra C (Gab. 3); da letra D para a letra C (Gab. 4);

b) Na Prova Objetiva 2: na questão nº 24, da disciplina Contabilidade e Auditoria, da letra B para a letra E
(Gab. 1); da letra D para a letra B (Gab. 2); da letra A para a letra B (Gab. 3); da letra E para a letra B (Gab. 4);
...


Última edição por oculto em Dom 16 Mar 2008, 10:29, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdosconcursos.hpg.ig.com.br
xlaine
moderador


Número de Mensagens : 229
Data de inscrição : 28/02/2008

MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Qua 05 Mar 2008, 20:40

Onde está a dúvida de Português, postada pelo Idharles?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
oculto
classe C
classe C


Número de Mensagens : 369
Data de inscrição : 05/01/2008

MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Qua 05 Mar 2008, 21:06

Acho que ele não colocou aqui. Pelo menos eu não vi.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdosconcursos.hpg.ig.com.br
gbc
novato


Número de Mensagens : 16
Data de inscrição : 27/04/2008

MensagemAssunto: Pergunta   Sex 02 Maio 2008, 23:06

Por que as questões 9 e 11 foram anuladas?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
oculto
classe C
classe C


Número de Mensagens : 369
Data de inscrição : 05/01/2008

MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Ter 06 Maio 2008, 20:33

Quanto a questão 11, eu descobri o recurso que a professora Claudia Kozlowski colocou no site do Ponto dos Concursos. Provavelmente foi este o motivo da anulação.

(o link é este aqui: http://www.pontodosconcursos.com.br/professor.asp?menu=professores&busca=&prof=100&art=2594&idpag=7)



"27/01/2006 - Recurso à questão 11 da prova de ACE/TCU
Pessoal,
Preparei esse recurso à questão 11 (gab.1) da prova realizada no último fim de semana.
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Recurso à questão 11 da prova para Analista de Controle Externo do Tribunal de Contas da União.

Tomando por base o Gabarito 01, solicitamos a anulação da questão 11 pelos motivos abaixo apresentados.

Para isso, reproduzimos a questão na íntegra:


11- Indique a opção que pode anteceder o parágrafo transcrito abaixo, sem ferir os princípios de coerência textual e desenvolvimento lógico das idéias.

Muito contribuiu para afirmações desse tipo a divulgação da teoria de Cesare Lombroso (1835-1909), criminalista italiano, que procurou correlacionar aparência física com tendência para comportamentos criminosos. Por mais absurda que nos possa parecer, a teoria de Lombroso encontrou grande receptividade popular e, até recentemente, era ministrada em alguns cursos de direito, como verdade científica. Em nossos dias, o mau uso da sociobiologia tem exercido o mesmo papel.

(Roque de Barros Laraia, Cultura – um conceito antropológico.)

a) O perigo da crença nas qualidades (positivas ou negativas) adquiridas graças à transmissão genética é que facilmente elas podem vir associadas a padrões discriminatórios, sejam raciais, sejam sociais, na tentativa de justificar as diferenças sociais.

b) Os dados científicos de que dispomos atualmente não confirmam a teoria segundo a qual as diferenças genéticas hereditárias constituiriam um fator de importância primordial entre as causas das diferenças que se manifestam entre as culturas e as obras das civilizações dos diversos povos ou grupos étnicos.

c) Os grupos humanos diferem uns dos outros pelos traços psicologicamente inatos, quer se trate de inteligência, quer de temperamento. O desenvolvimento das aptidões

mentais se explicam, antes de tudo, pelo aparato inato de que vem dotado cada ser humano – apanágio do que se designa por espécie humana.

d) As diferenças existentes entre os homens não podem ser explicadas em termos das limitações que lhes são impostas pelo seu aparato biológico ou pelo seu meio ambiente. A grande qualidade da espécie humana foi ter rompido com suas próprias limitações: um animal frágil dominou toda a natureza e se transformou no mais temível dos predadores.

e) Um jovem lobo, separado de seus semelhantes no momento do nascimento, saberá uivar quando necessário; saberá distinguir, entre muitos odores, o cheiro de uma fêmea no cio e distinguir, entre numerosas espécies animais, aquelas que lhe são amistosas ou adversárias. Do mesmo modo, um cachorrinho criado com uma ninhada de gatinhos nem mesmo experimentará miar – latirá e rosnará a primeira vez que lhe pisarem a pata.


A opção c, indicada como a resposta correta, apresenta erro de sintaxe de concordância. Na passagem “O desenvolvimento das aptidões mentais se explicam, antes de tudo, pelo aparato inato de que vem dotado cada ser humano – apanágio do que se designa por espécie humana.” o verbo explicar deve concordar com o substantivo que exerce a função sintática de núcleo do sujeito – desenvolvimento –, sendo a forma correta: “O desenvolvimento das aptidões mentais se explica...”.

Em função de não haver outra opção que possa, semanticamente, anteceder o parágrafo, pedimos a anulação da questão, conferindo o ponto a ela correspondente a todos os candidatos.

Referência Bibliográfica:

Nova Gramática do Português Contemporâneo - Celso Cunha e Lindley Cintra, Editora Nova Fronteira

Moderna Gramática Portuguesa – Evanildo Bechara, Editora Lucerna"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://forumdosconcursos.hpg.ig.com.br
ffgaio
moderador


Número de Mensagens : 19
Data de inscrição : 05/03/2008

MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Dom 11 Maio 2008, 15:53

Em relação à questão 09, acho que a razão seria a seguinte:

a) Errada: a oração subordinada substantiva subjetiva foi separada do predicado.
Entendo que a ordem direta seria: Evitar uma coisa ou outra (é) quase impossível. Não poderia haver a vírgula antes de evitar.

c) Possivelmente, errada tb. Tampouco = muito menos (é um reforço que uma negação)
A vírgula teria sido colocada no local errado o que separou o predicadode seu complemento.

A ética da arte não está, tampouco (muito menos, também não) como já se quis, na informação ou no saber que propaga.

Na minha humilde opinião, para existir a vírgula após o verbo quis, deveria ocorrer outra vírgula antes de tampouco, pois seria uma oração intercalada entre o verbo e seu complemento.

Bom, acho que era isso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
xlaine
moderador


Número de Mensagens : 229
Data de inscrição : 28/02/2008

MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Dom 11 Maio 2008, 22:43

Legal, ffgaio, vc podia assumir as 5 da Semana em Português, hein? O que acha?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ffgaio
moderador


Número de Mensagens : 19
Data de inscrição : 05/03/2008

MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Seg 12 Maio 2008, 15:10

Xlaine, agradeço sua gentil mensagem, mas estou muito enrolada no trabalho e não posso assumir mais uma responsabilidade. Todavia, oportunamente, quem sabe?
Obrigada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO   Hoje à(s) 04:51

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
TCU-2005/2006 - ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Resolvido](CMBH 2005/2006) Envelopes e Provas
» Ângulo externo
» (ITA) 2005
» Pneumatologia: agente externo x agente interno
» A questão da liberdade da imprensa e a possibilidade de certo controle da mídia.

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
FÓRUM DOS CONCURSOS ::  ÁREA FISCAL :: só português-
Ir para: